Votação Final do Impeachment no Senado (8)

A ex-presidente continua mentindo ao atribuir à desvalorização cambial ocorrida ao final de seu primeiro mandato, desvalorização que ela atribui à mudança na política monetária do Federal Reserve dos EUA, a razão para explicar a crise que se abateu sobre a economia do país, e desta forma tentar isentar-se de qualquer responsabilidade sobre a mesma. O fato é que, exceto em situações de ataque especulativo contra uma moeda, alterações cambiais por si só nunca são motivos de crise, pelo contrário: a desvalorização cambial, que não é ruim em todos os aspectos, é em geral uma consequência de outros fatores.

No caso em questão, a crise cambial ao final de seu primeiro mandato foi consequência de uma crise generalizada de confiança, decorrente da constatação da fragilidade política do novo governo que se iniciaria no ano seguinte. Fragilidade essa associada à descoberta do descalabro existente nas contas públicas, cuja real situação foi escondida durante a campanha eleitoral, e também devido à constatação de sua completa ilegitimidade, uma vez que a reeleição da ex-presidente teve todas as características de fraude.

Portanto, ao contrário da mentira que Dilma repete no Senado, a desvalorização cambial ao final de 2014 não foi a causa da crise econômica, e sim uma consequência de um governo que já nascia morto por não ter legitimidade alguma.


 

Anúncios

Sobre paulo eneas

Analista político e editor do Jornal Crítica Nacional
Esse post foi publicado em painel crítica nacional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s