O duplo padrão moral de quem teima em posar de isento

Existem aqueles que exibem indignação e revolta por conta da menção que Jair Bolsonaro fez ao Coronel Brilhante Ustra durante a votação do impeachment, mas veem com naturalidade um deputado petista homenagear Carlos Marighela e outros comunistas assassinos e torturadores de inocentes durante o regime militar. Esses supostos isentos são  o que Lenin chamava de idiotas úteis: ao fim e ao cabo, sempre estão prestando um enorme favor aos comunistas e socialistas, tudo em nome da isenção e da independência de pensamento.

Anúncios

Sobre paulo eneas

Analista político e editor do Jornal Crítica Nacional
Esse post foi publicado em painel crítica nacional. Bookmark o link permanente.